Toda criança precisa de movimento. Correr, brincar, pular, saltar, rolar, são movimentos necessários e que fazem parte da infância.

Como fica nos dias atuais o desenvolvimento das nossas crianças em relação aos exercícios físicos?

Vários estudos mostram que existe diferença entre a atividade física e os esportes. Consideramos como atividade física ações como andar de bicicleta, pular corda, dançar e outras como jogar vôlei, futebol, basquete, já são classificadas como esportes. Os benefícios na prática de todas elas são grandes, principalmente no repertório motor como na capacidade de se desenvolver como ser humano.

A urbanização das nossas cidades, a violência na sociedade e o crescimento dos Pais que trabalham, levam as nossas crianças a praticarem menos atividades físicas do que antigamente. As brincadeiras fora de casa diminuíram e os aparelhos tecnológicos são muito utilizados como entretenimento interno. Trocar a piscina pelos jogos eletrônicos, a bicicleta pela internet e o pega-pega pela televisão são atitudes cada vez mais naturais entre os pequenos. Quando jogam com os colegas, aprendem regras e desenvolvem cada vez mais o seu convívio social, pois aprendem a todo o momento o dever de respeitar o outro.

Sabemos que exercícios físicos, também como a prática de esportes, são sinônimos de saúde, além de estimular o intelectual e ajudar na auto-estima.

Devemos levar em consideração a dose adequada para a prática de exercícios físicos, de acordo com a faixa etária da criança, para assim garantirmos uma infância mais saudável.

Tudo que é em excesso pode causar problemas de saúde e uma grande desmotivação pela atividade, não refletindo em bom condicionamento físico e prazer. A criança passa por diferentes fases na infância e nós adultos devemos prestar muita atenção na disposição dos nossos pequenos em correr, brincar, nadar, jogar e proporcionar situações que estimulem a atividade física, como também os cuidados necessários com uma alimentação saudável e com boas horas de sono.

A carência da atividade física, muitas vezes pode acarretar alguns problemas como: sedentarismo, obesidade, stress, falta de criatividade e outros fatores que interferem na saúde física e intelectual.

Quando a criança pratica o exercício físico ou uma modalidade esportiva, dependendo da faixa etária, pode se defrontar com a competição, mas deve estar claro que manter sempre a liderança não é o mais importante, mas ajudá-la a compreender e encarar a competição como conquistas e frustrações, é uma tarefa árdua, onde o mais importante é fazer com que ela esteja preparada para as duas situações. Levantar e aprender a lidar com seus medos, com novas tentativas, são desafios que enfrentarão por toda a vida.

Toda pessoa tem seu limite e com a criança não é diferente. Ela tem que sentir prazer no desenvolvimento da atividade física, sem resultados traumáticos. Será notório a auto-confiança, a auto-estima e a credibilidade na capacidade de fazer cada vez melhor, alcançando metas, mas com grande satisfação.

Cabe aos Pais buscarem espaços e criarem oportunidades dos seus filhos se movimentarem e brincarem, levá-los a parques, é uma boa alternativa, como também, as atividades esportivas nas escolas. Cada fase da infância é rica de movimentos necessários que contribuem para a formação, quanto à pessoa que se tornará no futuro.

 

Publicado por Márcia Regina Iatallese Cassiano

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *