São muitos os gêneros textuais que circulam em nossa sociedade, como carta, relatório, artigo. O curso de Linguagem e Produção de Texto do Ensino Médio da Villare baseia-se no trabalho a partir do estudo desses gêneros textuias.  Dessa forma, busca-se formar o aluno de modo que ele possa (re)conhecer um número significativo de textos, bem como suas especificidades e usos efetivos na realidade comunicativa em que todos estamos inseridos.

A complexidade e vastidão deste universo, o da linguagem, dá sinais do tamanho deste desafio.

Nas palavras do linguista e educador José Luis Fiorin, “não basta recomendar que o aluno leia atentamente o texto muitas vezes, é preciso mostrar o que se deve observar nele. A sensibilidade não é um dom inato, mas algo que se cultiva e se desenvolve”.  Ou seja, assim como defende o especialista, na Villare não ensinamos a ler, mas sim formamos leitores capazes de sentir um texto e compreendê-lo em suas múltiplas possibilidades.

O gênero conto, tema do 1º bimestre do 2º ano, merece destaque pela forma como foi apresentado e assimilado pelos alunos.  A dificuldade que os estudiosos da área de Literatura têm para definir com precisão o gênero foi um importante (ponto de partida) para o início do contato com esse tipo de texto. Afinal, a linha que divide os diferentes gêneros textuais é  muitas vezes tênue e buscar com os alunos elementos comuns às curtas narrativas textuais, que pudessem enquadrá-las como contos ou não, mostrou-se um grande aprendizado para os alunos.

Chegamos então à definiçao proposta pelo crítico literário Alfredo Bosi que alude o gênero como uma narrativa curta  que condensa e potencia no seu espaço todas as possibilidades de ficção. A partir dessa conceituaçao os alunos do 2º ano puderam conhecer, analisar e apreciar contos brasileiros e estrangeiros consagrados pela crítica literária.  Eles tiveram a oportunidade de entender não só funcionamento desse tipo de texto,  como também fruir do prazer estético proporcionado pela Literatura Erudita. Os discentes foram instigados a produzir contos de diversas temáticas e, como conclusão do trabalho com esse tipo de gênero, foram convidados  –  a partir da apresentação de um seminário aberto –  a refletir sobre as diversas leituras  e possibilidades  dialógicas interetextuais que o texto literário permite ao leitor fazer.

A partir da escolha de alguns contos pre-selecionados pela professora, os alunos mostraram suas releituras, apontando as ricas relações interdiscursivas presentes nessas pequenas ficções .  Dramatizações, leituras dramáticas  nortearam as apresentaçoes  que foram bastante criativas e muito importantes no percurso de formação dos adolescentes como leitores. Além disso o caráter coletivo e lúdico das apresentaçoes permitiu uma maior integração do grupo.

Os trabalhos apresentados evidenciaram não só  a riqueza de repertório de nossos alunos, que estabeleceram diversos tipos de relação entre as muitas áreas do conhecimento, mostrando-se capazes de ler com proficiência textos complexos, mas também explicitaram a autonomia na busca por conhecimento.

FERNANDA FREITAS, professora de  Linguagem e Prod. de Texto do Ensino Médio

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *