Que não passe, passado!

Ao se visitar uma exposição de arte, os movimentos das pupilas, a óptica dos olhos, o abrir e fechar das pálpebras são imprevisíveis. Uma dinâmica intrínseca entre o ver e o olhar! Jovens e vanguardas. Há encontro mais promissor?

E foi exatamente o movimento dos olhos atentos dos alunos do 3º ano do Ensino Médio da Villare, aguçados pelo contexto de outro movimento, o Modernismo brasileiro, que os envolveu numa aura de cores e sentidos, de buscas e encontros, rupturas e permanências, durante a visita à exposição “Anita Malfatti – 100 anos de arte moderna”, que acontece no Museu de Arte de Moderna de São Paulo – MAM.
[nggallery id=4734 images=5]

Foi uma aula, em todos os sentidos! Era perceptível que a preparação dos alunos para o evento, ao contrário de limitar sua experiência, possibilitou sua imersão no universo vanguardista de Anita, percebendo, apesar da distância secular, o desejo pela ruptura e pelo novo. A relação do contexto modernista brasileiro, escancarado pela exposição, com a sala de aula, ficou evidente no relato de Júlia Moura, para quem o conhecimento do contexto e a proximidade das obras construiu novos sentidos.
[nggallery id=4736 images=28]

Já Bruna Mendes encantou-se pela dimensão humana da artista e a reatividade da sociedade da época ao novo, expressa, sobretudo, na famosa crítica feita por Monteiro Lobato à exposição de Anita realizada em 1917. Não será esse um movimento que permanece, cotidianamente, também no nosso tempo?

As primeiras respostas dos jovens à angústia latente entre a vanguarda e a novidade apareceu nos desenhos que realizaram na etapa interativa da exposição, onde tal qual crianças, revisitaram sua própria história em um novo contexto, em um novo lugar, distante do comum, buscando novos padrões.

Na atividade proposta pelos professores, de escreverem sobre sensações comuns, a naturalidade com que optaram por ousar e buscar recursos artísticos, nos seus textos, aponta para o encontro com o inesperado.
[nggallery id=4735 images=10]

Era o que se esperava? Pergunta sem resposta. Mas por alguns instantes, assim como Anita em seu passado, foram vanguarda!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *