Primeiro dia: A chegada

         Foi uma viagem longa de ônibus até Brotas, no interior de São Paulo. Iríamos (eu e minha escola) a um acampamento fazer várias atividades divertidas e é claro, estudar!

Nos trocamos nesses pequenos quartos (provisórios) pois os nossos ainda iam ser arrumados e fomos para a  piscina! Foi muito divertido. Fui no tobogã e nas piscinas, eu estava gostando muito.

Saímos e fomos almoçar. O almoço estava muito bom, havia arroz, feijão, macarrão e muitas outras coisas. Também havia sobremesa, tinha pudim-de-leite, gelatina, etc.

E finalmente, depois de almoçar, fomos aos quartos definitivos. Era um quarto com alguns beliches. Eu dormi em baixo e meu amigo Gabriel Caram dormiu em cima. Arrumei minha cama e minhas coisas.

Depois disso, fomos de ônibus à Barra Bonita, uma cidade perto do acampamento Peraltas, em Brotas. Na eclusa (elevador-de-água), foi muito legal! Lá aprendi várias coisas sobre o Rio Tietê e sobre o funcionamento de uma eclusa. Tinha até um barzinho em que se vendia pipoca dentro do barco.

Á noite, fomos ao CEU (Centro de Estudos do Universo) e aprendemos sobre as eras geológicas do planeta Terra e sua formação.

Estava sendo divertido, e eu mal podia esperar o que estava por vir.

Segundo dia: Manhã de estudos

       Acordei com os gritos dos monitores (faziam isso todos os dias para nos acordar). Tirei o pijama e todos foram com o nosso monitor (Murilo) até o refeitório.

Após o café, fomos novamente ao CEU, mas desta vez estudamos sobre rochas e suas características. Foi bem interessante.

Após esta atividade, assistimos um vídeo projetado no teto de uma sala sobre como seria o planeta em 2100 se ele continuasse deste jeito.

Almoçamos deliciosas comidas como no dia anterior.

Tivemos uma manhã de estudos, mas à tarde, fizemos gincanas e fomos ao ginásio. Lá, pulei na cama elástica, montei no touro mecânico, joguei futebol e muitas outras coisas. À noite, também fiz uma gincana muito legal na qual devíamos usar nossas lanternas para enxergar no escuro. O acampamento era muito grande e haviam lugares que delimitavam até onde podíamos ir.

Essa foi a melhor noite no quarto! Fiz guerra de travesseiros com meus amigos, assistimos a um filme na televisão e até fizemos balada no quarto! Meu amigo tinha levado uma lanterna que pisca e também tinham levado celulares. Colocaram músicas e a balada estava pronta. Este dia foi muito bom e o próximo dia prometia ainda mais.

Terceiro dia: O Bóia-Cross!

       Acordamos e já começamos a arrumar nossas malas, porque iríamos partir para SP já nesse dia.

Tomamos café-da-manhã (como sempre, muito bom) e fomos para a atividade mais divertida e emocionante da viagem inteira, o Bóia-Cross.

O Boia-Cross funciona assim: você monta em uma boia e desse um rio com correntezas e partes mais tranquilas. No caso de Brotas, o rio que fiz a atividade é chamado Jacaré-Pepira. A água era muito gelada e isso deixava a aventura mais engraçada se alguém caísse da boia.

Eu caí da boia duas vezes e dei muitas risadas. Tinha que tomar cuidado com os pequenos galhos que haviam nas margens do rio, eles podiam machucar.

Logo depois, tivemos que carregar as boias pesadas mais um tempo até entrarmos no ônibus e voltarmos ao acampamento. Eu achava que não iria dar tempo de brincar na outra parte da piscina, mas acabou dando.

Fomos então, na piscina que tinha o tobogã amarelo (o maior de todos). Foi muito legal descer ele! Também joguei futebol de sabão e nadei na piscina.

Voltamos aos quartos e terminamos de arrumar nossas malas. Ainda deu um tempinho de comprar balas e refrigerante na lojinha do acampamento.

E então partirmos para SP, tristes que a viagem tinha acabado.

É um lugar muito divertido e espero voltar lá algum dia com a minha família.

[nggallery id=2462 images=55]

 

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *