O inglês hoje em dia deixou de ser um diferencial para se tornar um requisito básico. A globalização fez com que este idioma se tornasse uma língua internacional utilizada tanto por nós brasileiros em viagens de estudos, lazer ou negócios a outros países, quanto por milhares de estrangeiros que frequentemente chegam em nosso país em busca de uma comunicação eficaz.

A influência deste idioma é de tamanha proporção que algumas palavras já estão incorporadas no nosso cotidiano sem ao menos darmos conta que estamos falando em um idioma que, por sua vez, não é o nosso. Milkshake, baby, windows, word, enter, laptop, download, website, netbook, fashion, pet shop, shopping center, pen drive, diet, light, design, fast food, happy hour e muitas outras palavras são exemplos clássicos do uso que fazemos deste idioma diariamente.

No mercado de trabalho, o inglês está sempre em evidência, sendo ainda um fator decisivo na contratação de pessoas. É mandatório, segundo as grandes consultorias de RH, que o profissional seja fluente neste idioma, o que significa ser capaz de falar com fluência e desenvoltura sobre assuntos diversos, compreender oralmente diferentes situações, ler e escrever textos de vários gêneros com segurança e autonomia.

As oportunidades de crescimento pessoal e/ou profissional também estão presentes nos cursos de pós-graduação. Atualmente, instituições renomadas de ensino oferecem programas de extensão universitária de curto ou longo prazo em outros países, sendo necessária na maioria das vezes, uma certificação de proficiência em língua inglesa que comprove o grau dos conhecimentos linguísticos que o candidato possui a fim de ingressar no curso desejado.

Diante deste contexto, sabemos que quanto mais cedo prepararmos nossos filhos para esta realidade, melhor. Estudos comprovam que a aquisição de uma segunda língua em crianças ocorre com muito mais facilidade em comparação aos adultos, pois é nesta fase, segundo o doutor em física médica Marcelo Mazza que a criança aprende diferentes línguas de maneira uniforme, como se elas fossem um pudim. “Se a criança for exposta a três idiomas, as relações semânticas e sintáticas de todos os idiomas estarão integradas, e ela terá facilidade de usar os três ao mesmo tempo”.

Portanto é essencial que nossas crianças estejam inseridas desde a mais tenra idade em um contexto escolar no qual o inglês não seja apenas mais uma disciplina oferecida pela escola, e sim uma língua global que será uma constante na rotina dos alunos, pois  assim  a fluência e a desenvoltura não serão mais uma disciplina a ser aprendida, e sim uma habilidade naturalmente desenvolvida.

 

Publicado por Milena Matos Carmona

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *