A V Mostra de Teatro da Escola Villare foi composta por dez apresentações de alunos de diferentes faixas etárias.

Com a proposta de sensibilização e iniciação à linguagem teatral, os alunos vivenciaram um ano de jogos, brincadeiras e improvisos que, aos poucos, foram resultando em cenas.

 

O trabalho em grupo e o desafio da criação gera uma aprendizagem significativa que rompe as barreiras da sala de aula.

 

A cada espetáculo víamos em nossos alunos o brilho nos olhos e a sensação de superação, autoconfiança e dever cumprido. Quando questionados se fariam novamente a apresentação, a resposta era direta, forte e precisa: SIM!

 

Sim, nossa Mostra de Teatro é a mostra do sensível!

 

Que orgulho ver tantas crianças e adolescentes fazendo arte, usando o palco como um pretexto para dizerem o que pensam! Neste momento único, os temas mais diversos se encontraram e encheram a plateia de emoções e sensações bem difíceis de serem descritas, pois foram fortes em sua experimentação.

A cada riso, palma e choro podíamos constatar que a arte teatral acontece de fato com a plateia. Esta, por sua vez, soube devolver incentivo e vigor à todas as apresentações, dando forma e sentido ao que acontecia no palco.

 

Acreditando sempre na educação da arte como possibilidade de formação de pessoas mais humanas, finalizamos a nossa quinta edição agradecendo pela arte do encontro!

[nggallery id=1385]

 

 

O PROCESSO

 

Época de Sarau na Villare. Tempo de decidir sobre o tema, a leitura dos textos produzidos pelos alunos e aqueles registrados na história poética, as músicas, a sequência das apresentações no evento.

Neste ano, por sugestão da professora de Geografia, Renata Terence, o tema escolhido foi Brasil, até em razão da Copa. Optamos, então, por referências do que temos de melhor, na poesia e nas músicas. E temos tanto, que ficou difícil decidir…

É incrível ver o Sarau acontecer antes mesmo do dia. Os alunos ficam envolvidos pelo encantamento das palavras; o olhar se transforma, sonhador; a atenção se volta para a subjetividade diante da criação do que vem de dentro – deles e de outrem. E o belo provoca intensas manifestações pelos corredores do colégio.

[nggallery id=947]

 

O GRANDE DIA

E eis que chegou o dia. Durante toda a quinta-feira, dia 29 de maio, havia uma vibração em todos por aqui.  Além das aulas do dia, os ensaios se intensificaram até que as 17h30 chegaram.

Neste ano, a indumentária foi caprichada: viemos vestidos “de Sarau”. Como? Pensamos em roupas floridas, saias rodadas, suspensórios, paletós, boinas. Mágico é perceber o quanto os alunos aceitam prontamente tais sugestões. E como se envolvem com repertórios tão diferentes do seu. E vibram com ele!

Outra novidade grandiosa foi a participação do grupo “Canto Livro”, formado por Jean e Joana Garfunkel, pai e filha que trabalham a literatura associada à música brasileira. Combinação inteligente e sensível, que encantou a todos, desde o 6° ano, com alunos tão novos e incrivelmente envolvidos, até o 9°, que se despediu do Sarau com participação intensa.

[nggallery id=956]