O brincar é o fio condutor de grande parte das propostas realizadas na infância, pois através dessa prática a criança desenvolve sua identidade, autonomia, imaginação, imitação, além de amadurecer algumas capacidades de socialização por meio da interação e da utilização de regras e papéis sociais.

 

Preocupamo-nos com a estimulação de nossos filhos constantemente.

Será que as atividades estão adequadas? Será que é muito? Será que é pouco? Qual a medida? O que fazer? Dá para estimular em casa ou é só na escola?

São muitas as questões, mas estimular através do brincar é bem mais simples e acessível do que se imagina. Brincar no tanque de areia ou pendurar-se em cordas ou em ferros com as mãos, por exemplo, são exercícios comumente realizados no clube ou em parques e que auxiliam no desenvolvimento da escrita.

Atividades domésticas ajudam na resolução de problemas. Os pais iniciam o filho na matemática pedindo ajuda para arrumar a mesa. Ao convidar a criança para ajudar a colocar quatro pratos, quatro copos, talheres e afins, estão familiarizando-a com a linguagem das quantidades. Preparar uma receita e questionar a criança sobre a quantidade do leite, das colheres de açúcar, entre outras, dá a possibilidade do contato com as medidas, da transformação dos ingredientes. Isso é química e física!

Mudanças de ambiente, como passeios, viagens ou uma simples visita à casa de um amigo auxiliam na percepção de tempo e espaço e na afetividade da criança.

Fazer seu filho sentir cheiros diferentes, como perfumes ou comidas, ajuda na formação de sinapses e na memória olfativa.
Esses estímulos não transformam a criança em gênio, mas modificam a velocidade no raciocínio.
Mas, como o conceito de inteligência também sofreu alteração nesses anos, inteligente não é mais só aquele que tira nota 10 em tudo ou aquele que fica em frente ao computador.

O conceito de inteligência se ampliou assim como também se ampliou os desafios pra se mostrar inteligente.

Criança inteligente tem repertório variado e, por causa disso, consegue encontrar saídas para as situações cotidianas da vida.

 

Publicado por Cilene Iatalesi Ferrari

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *