Jardim botânico de São Paulo – 3º Ano E – Prof.ª Melissa

Quando ganhamos de presente uma bromélia, investigamos juntos para descobrir o nome da planta e os cuidados necessários, descobrimos também que podem ser encontradas na Mata Atlântica. Assim, iniciamos nossa pesquisa sobre este lugar, com leitura de textos, vídeos, experiências no laboratório e um estudo do meio muito esperado, o Jardim Botânico de São Paulo.

Lá os alunos puderam observar muitas espécies de bromélias, plantas, árvores, passaram por trilhas e entraram em estufas que simulam o ambiente natural. Conheceram a nascente do riacho do Ipiranga e, em diferentes locais, mais e menos arborizados, pararam para sentir a diferença no clima e na temperatura. Observaram insetos e também um bosque com as árvores que inspiraram o nome do nosso país, o Bosque do Pau-Brasil.

Tudo isso e muito mais os alunos tiveram a oportunidade de apreciar, sentir, ouvir, todos muito curiosos e empenhados em registrar cada instante deste, que foi um passeio muito aguardado e, com certeza, muito significativo.

Professora Melissa Mendes

3º ano E

Jardim Botânico “Muito além do Jardim….” – 3º Ano D – Prof.ª Andréa

Iniciamos a atividade investigativa pensando onde encontramos a Mata Atlântica. E tivemos uma surpresa ao descobrir que a Mata Atlantica era aqui!

Pesquisamos os animais, as plantas, o clima, e a vida existente nela, então….só faltava nosso estudo de campo.

Começamos levantando algumas perguntas sobre o que poderíamos encontrar no Jardim Botânico.

Uma área de preservação ambiental tão rica em espécies merecia nosso cuidado investigativo.

As perguntas levantadas em sala foram as mais diversas:

– Quantos animais diferentes existem no Jardim Botânico?

– Como os animais se alimentam?

– Qual a importância das folhas na planta?

– Quem cuida do Jardim Botânico?

– Qual a diferença entre bromélias e ninféias?

E com essas e outras perguntas em mente, começamos a planejar, pesquisar e projetar. Isso é o que fazem os investigadores, artistas e cientistas! Então, mãos a obra!

Fomos descobrir! Vejam que momentos incríveis…

Jardim Botânico “Muito além do Jardim….” – 3º Ano B – Prof.ª Andréa

Iniciamos a atividade investigativa pensando onde encontramos a Mata Atlântica. E tivemos uma surpresa ao descobrir que a Mata Atlantica era aqui!

Pesquisamos os animais, as plantas, o clima, e a vida existente nela, então….só faltava nosso estudo de campo.

Começamos levantando algumas perguntas sobre o que poderíamos encontrar no Jardim Botânico.

Uma área de preservação ambiental tão rica em espécies merecia nosso cuidado investigativo.

As perguntas levantadas em sala foram as mais diversas:

– Quantos animais diferentes existem no Jardim Botânico?

– Como os animais se alimentam?

– Qual a importância das folhas na planta?

– Quem cuida do Jardim Botânico?

– Qual a diferença entre bromélias e ninféias?

E com essas e outras perguntas em mente, começamos a planejar, pesquisar e projetar. Isso é o que fazem os investigadores, artistas e cientistas! Então, mãos a obra!

Fomos descobrir! Vejam que momentos incríveis…

Indígenas do Brasil – 3º Ano C – Prof.ª Vanessa

O 3º ano está trabalhando com a sequência didática “Indígenas do Brasil”. Conhecer a cultura indígena propicia aos alunos a oportunidade de analisar o processo de construção do país, bem como compreender o modo de vida indígena do passado e do presente.

Através de diversas linguagens como vídeos, músicas, imagens, brincadeiras e textos informativos, os alunos entraram em contato com o universo da cultura indígena.

Os seminários também fizeram parte deste processo, já que é de suma importância utilizar a linguagem oral nas diversas situações comunicativas.  Os alunos em grupos, com todos os materiais disponíveis, selecionaram as informações dos textos, escreveram, desenharam e se prepararam para as apresentações.

Confiram os cliques…

Estudo do Meio – Jardim Botânico – 3º Ano A – Prof.ª Élita

Dando continuidade ao nosso estudo sobre a Mata Atlântica,  as crianças foram à campo em busca de mais informações sobre este tipo de vegetação. Puderam, com a saída, conhecer novas plantas, árvores e animais que fazem parte deste bioma.

As observações, coletas de dados e contato com a natureza ampliaram o conhecimento.  Nosso estudo agora avançará com a socialização das informações coletadas por cada um, bem como experimentos, leituras e novas discussões sobre o tema.

Professora Élita S. C. Bertoldo- 3º ano A

Projeto “Refabulando” – 3º Ano E – Prof.ª Melissa

Curiosidade.

Ao entrar pela porta da sala de leitura e observar aquele ambiente especialmente preparado para os alunos, foi esse o sentimento que tomou conta de cada criança.

Plantas, flores, animais, qual seria o tema da história que iriam ouvir?

Olhos focados em cada detalhe e ouvidos atentos para aquela que seria a história do lançamento do projeto “Refabulando”.

Por meio das fábulas, os alunos terão a oportunidade de avançar na leitura e na escrita, com situações de reflexão sobre a língua escrita e momentos de revisão ao produzir textos deste gênero.

Além disso, as fábulas têm uma característica singular, com estes pequenos textos é possível fazer potentes discussões e analisar os ensinamentos que trazem.

 

E por falar em leitura… – 3º Ano D – Prof.ª Andrea

Muitos ambientes permanecem vivos dentro de nós, despertando sentimentos e sensações com suas sombras ou luzes, seus cheiros, sua imensidão ou pequenas dimensões.

A Glaucia, nossa contadora de histórias, em parceria com as professoras criou um ambiente convidativo para cada história contada, cada conto, cada poesia, enfim, cada contato com a literatura.

O ambiente passou a ser muito mais que a sala onde guardamos nossos tesouros literários. Agora os alunos vão para este momento com os olhos e os ouvidos atentos, mas o coração aberto para uma nova história, uma nova experiência. Confira este momento:

 

Projeto: “Refabulando” – 3º Ano C – Prof.ª Vanessa

O 3º ano fecha o primeiro ciclo do Fundamental I, no qual acontece a consolidação da escrita e da leitura. Para que os alunos avancem nesses aspectos, trabalharemos no 1º trimestre com as fábulas, gênero textual que enriquece o repertório linguístico das crianças, possibilitando a análise e reflexão sobre a linguagem oral e escrita.

Em um ambiente instigante, criamos um cenário, uma “floresta”, com animais, plantas, sons, e os alunos tiveram o primeiro contato com as fábulas. Gláucia, contadora de histórias da Escola Villare, contou a fábula “O rato do campo e o rato da cidade”, onde os alunos puderam apreciar o cenário, ouvir a história dramatizada, analisar as características deste gênero textual e discutir questões relacionadas às relações interpessoais.

Esse momento foi prazeroso para os alunos e aguçou ainda mais a curiosidade deles em conhecer novas fábulas e escrevê-las.

Apreciem as fotos…

 

E por falar em leitura… – 3º Ano B – Prof.ª Andrea

Muitos ambientes permanecem vivos dentro de nós, despertando sentimentos e sensações com suas sombras ou luzes, seus cheiros, sua imensidão ou pequenas dimensões.

A Sala de Leitura da Escola Villare ganhou novos ares: “Parece um teatro!” – resumiram os alunos do 3º ano B, uma vez que a Glaucia, nossa contadora de histórias, em parceria com as professoras criou um ambiente convidativo para cada história contada, cada conto, cada poesia, enfim, cada contato com a literatura.

O ambiente passou a ser muito mais que a sala onde guardamos nossos tesouros literários. Agora os alunos vão para este momento com os olhos e os ouvidos atentos, mas o coração aberto para uma nova história, uma nova experiência. Confira este momento:

 

Indígenas do Brasil – 3º Ano A – Prof.ª Élita

Ao entrarem em uma pequena exposição com fotos, livros e objetos indígenas, as crianças foram convidadas a terem um olhar investigativo sobre esta cultura.

Com o que as crianças indígenas brincam? Do que são feitos os objetos produzidos por eles? Como são suas moradias? De onde são retirados os materiais que utilizam em suas produções?

Puderam com esta experiência viver uma aproximação dos elementos que compõem essa cultura. Pesquisaram com admiração e envolvimento.

Élita S. C. Bertoldo